Lectio Divina: um guia para iniciantes

218
Lectio Divina: Um guia para iniciantes

Eu sempre quis ser uma “boa” cristã. Lia pilhas de livros sobre Deus e a vida cristã, mas só raramente me sentia mais perto Dele. Entretanto, tudo isso mudou quando li o livro “Open Mind, Open Heart”, do monge trapista Padre Thomas Keating, e aprendi sobre a prática de oração da Lectio Divina.

Lectio Divina (literalmente Leitura Divina, também conhecida como Leitura Orante) é uma forma de se imergir nas Sagradas Escrituras de uma forma muito pessoal. Ela se baseia na forma como os Judeus liam o Haggadah, um texto que era lido durante a Páscoa judaica que reconta a história do êxodo. Haggadah significa “contar” e ainda que este seja um texto físico, as palavras nele captam a prática de contar e recontar uma história.

O modo Cristão da Lectio Divina foi introduzido por São Gregório de Nissa (330-395) e também difundido por São Bento de Núrsia (480-547), o fundador da ordem Beneditina. Esse é um modo de desenvolver uma relação mais próxima com Deus refletindo, em oração, Suas palavras. Na Leitura Orante, o texto escolhido é lido quatro vezes no total, dando a oportunidade de refletir profundamente sobre ele e responder de forma meditativa. Quando nós praticamos a Leitura Orante podemos nos imaginar verdadeiramente vivendo os acontecimentos que estão na Sagrada Escritura – por exemplo, ouvindo as palavras de Deus que guiaram os Israelitas no deserto. Esta é uma experiência pessoal com Deus muito intensa. 

O Padre Keating descreve quatro etapas da Lectio Divina como os pontos da bússola em torno de um círculo, com o Espírito Santo movendo perfeitamente cada um deles. Como iniciante, achei útil seguir as etapas em ordem. Mas assim como quando se aprende a tocar um instrumento, quando aprendemos o básico, tornamo-nos capazes de improvisar! Veja como começar:

Prepare

Eu sugiro 30 minutos para ler, refletir e responder aos sussurros do Espírito Santo na Leitura Orante. Para entrar no clima de oração, gosto de acender uma vela, não porque seja necessário, mas porque a chama e a fragrância me ajudam a lembrar de rezar enquanto organizo meus pensamentos e acalmo minha mente. Eu faço uma oração inicial, dizendo algo como “Deus, deixe-me Te ouvir”, e passo alguns momentos sentada em silêncio para que minha mente esteja aberta para ouvir o que Deus tem a me dizer.

Lectio (Leitura)

A primeira vez que leio é uma oportunidade para conhecer aquela passagem das Escrituras. Eu ouço com cuidado e tento reconhecer qualquer palavra ou frase que pareça se destacar. É importante não forçar as coisas, mas esperar pacientemente que Deus vá guiando calmamente. Um dia, ao ler Jeremias 31, senti minha mente atraída pela fidelidade do compromisso de Deus com a sua aliança com o povo:

“Dias virão – oráculo do Se­nhor – em que firmarei nova aliança com as casas de Israel e de Judá. Será diferente da que concluí com seus pais no dia em que pela mão os tomei para tirá-los do Egito, aliança que violaram embora eu fosse o esposo deles.” (Jr 31,32) 

Fiquei impressionada com a imagem de Deus liderando o Seu povo pela mão como um ato de amor – eles não foram deixados sozinhos para começar uma jornada importante.

Meditatio (Reflexão) 

A segunda leitura da mesma passagem concentra-se mais nos pontos de que chamam minha atenção durante a primeira leitura. Muitas vezes eu releio alguns versículos para poder refletir com cuidado sobre onde Deus me cutucou.

Então eu vou refletir sobre o que eu acredito que Deus está dizendo. Eu tento não analisar a passagem. É fácil entrar no “modo de estudo” e pensar em pontos interessantes, em vez de ouvir o que Deus está dizendo. Algo que pode ajudar é pedir a Deus que torne claro o Seu foco.

Oratio (Responder) 

Depois de uma terceira leitura, é hora de dar uma resposta. Eu gosto de registrar meus pensamentos escrevendo em um diário porque sei que sou muito propensa a esquecer o que aprendi, mesmo no dia seguinte! Podemos também responder em oração, o que nos dá a oportunidade de conversar com Deus.

Ao ler o livro de Jeremias, registrei minhas meditações: “Se Deus está tão fortemente comprometido em manter Sua aliança comigo, por que às vezes eu não tenho o compromisso de ficar perto de Deus? Muitas vezes os eventos do dia acontecem, e eu nem sempre arranjo tempo para ouvir a Deus”. Eu rezei para que Deus me ajudasse a priorizar passar tempo com Ele em oração.

Contemplatio (Descansar) 

Depois da leitura final, eu passo cerca de 10 minutos em contemplação silenciosa. Este não é um momento de oração ou meditação – apenas me sento em silêncio e permito que Deus trabalhe. Quando minha mente começa a vagar e disparar aqui e ali, eu a levo gentilmente de volta à quietude.

Existem muitas fontes de inspiração para ajudar a desenvolver a prática da Lectio Divina. Mas é importante lembrar que a Leitura Orante não é um fim em si ou outra prática espiritual para marcar nossa lista de tarefas. Ela ajuda-nos a ouvir especificamente e individualmente a Deus por meio das Escrituras, guiados pelo Espírito Santo e aprofundando nosso relacionamento com Ele.

_____________

Autor: Elizabeth Manneh

Elizabeth Manneh é uma escritora freelancer. Ela divide seu tempo entre o Reino Unido e a Gâmbia, na África Ocidental. Já escreveu para diversos blogs incluindo o Huffington Post, o ReadersDigest.com e o The Good Men Project. Elizabeth tem buscado durante sua vida encontrar maneiras de estar com Deus a todo tempo no seu dia a dia. 

Fonte: Bustedhalo 

Traduzido por  Ludmila Giacone – Membro da Rede de Missão do YOUCAT BRASIL, como Voluntária no Núcleo de Tradução, Formação, e também atualmente participante do Grupo de Estudo YOUFAMILY em Brasília – DF.

Deixe seu comentário