Encontrar-se com Deus é o coração da vida católica. Somos convidados a rezar não só na missa dominical, mas todos os dias! Nosso Pai no céu nos ama 24 horas por dia, 7 dias por semana, ainda que às vezes nos esqueçamos disso. Jesus veio à terra para mostrar-nos a face do Pai e lembrarmo-nos do amor e da sempiterna e infalível misericórdia de Deus.

“Deus não se cansa de chamar cada um, pessoalmente, para o encontro misterioso com Ele. A oração é… como um apelo recíproco entre Deus e o homem” (Catecismo da Igreja Católica, 2591).

O Deus de amor – do universo – anseia por ter um diálogo todos os dias conosco, de coração para coração! Destinar um tempo à oração pessoal faz com que reconheçamos nosso relacionamento com Deus e devotemos tempo a fazer cultivá-lo. Uma conversa sincera e uma escuta atenta são elementos que importam em todo relacionamento humano. Quando se trata de Deus, esse relacionamento é chamado de oração.

Rezar é elevar a mente e o coração a Deus, ou o pedido a Deus dos bens convenientes – São João Damasceno.

A quarta parte do Catecismo da Igreja Católica é dedicada à oração. Seguem algumas dicas para desenvolver e melhorar seu tempo pessoal de oração:

Ter um encontro com Deus

Jesus os teve – e nós também devemos ter! Os Evangelhos nos mostram que, ainda que Jesus seja Deus, ele também era pessoa com coração humano, emoções, responsabilidades e necessidades. [Jesus] aprendeu a rezar segundo o seu coração de homem (CIC, 2599).

Jesus rezou como um judeu fervoroso. Ele aprendeu as fórmulas das orações com seus pais. Ele conheceu as Escrituras e  orações litúrgicas na sinagoga em Nazaré e no templo em Jerusalém. Ainda assim Jesus demonstra o valor do tempo pessoal de oração com seu Pai. Os Evangelhos descrevem Jesus, frequentemente, tirando algum tempo sozinho para rezar (alguns exemplos estão em Lucas 6, 12; 9, 18; 9, 28; 11,1; 22, 41-42).

Jesus respeitava os tempos destinados à oração em comunidade, e também respeitava os períodos destinados à oração pessoal. Vamos imitar Jesus! Sabemos que, quando escrevemos um compromisso em nossa agenda, precisamos cumpri-lo. Programe-se e planeje seus tempos de oração pessoal. O Catecismo ensina: “Para orar, é preciso querer” (CIC, 2650).

Encontre um lugar adequado

Jesus deliberadamente procurava estar sozinho para fazer sua oração pessoal: “Em certo lugar, Jesus estava rezando” (Lc 11, 1). Todos precisam de um lugar para rezar além do espaço da Igreja. Jesus ensinou seus discípulos a rezar em suas casas: “Quando orardes, entra no teu quarto, fecha a porta e ora ao teu Pai em segredo” (Mt 6, 6). Seguindo os passos de Jesus, o Catecismo recomenda encontrar lugares silenciosos em casa para a oração pessoal:

“Pode servir um ‘recanto de oração’, com a Sagrada Escritura e ícones (imagens) para aí se estar ‘no segredo’ diante do Pai” (CIC, 2691).

Algumas famílias criaram e decoraram pequenos altares em casa ou mini-capelas destinadas à oração pessoal, mas que sirva também como espaço propício às orações em família. “Em uma família cristã, essa espécie de pequeno oratório favorece a oração em comum” (CIC, 2691). Onde quer que você decida rezar, livre-se o máximo possível de distrações. Desligue o celular, o rádio ou a TV.

Tenha uma Bíblia em seu lugar de oração

Oração é diálogo. Conversamos com Deus usando nossas próprias palavras, assim como faríamos com um amigo. Pelo menos para a maior parte das pessoas, a fim de ouvirmos as palavras de Deus dirigidas a nós, precisamos da Palavra de Deus – a Bíblia. Rezar com a Palavra de Deus nos levará a aprofundar a oração. Leia as leituras da missa diária.

O Catecismo recomenda a oração com os Salmos, assim como Jesus fez.

“Os salmos constituem a obra-prima da oração no Antigo Testamento… comemorando as promessas de Deus… Rezados por Cristo e n’Ele realizados, os salmos são um elemento essencial e permanente da oração da sua Igreja. Adaptam-se aos homens de qualquer condição e de todos os tempos” (CIC 2596-2597).

O amor aos salmos faz com que muitos rezem a Liturgia das Horas (o Divino Ofício).

Aprofundar-se no conhecimento do ‘Pai Nosso’

Jesus deu-nos o “Pai Nosso” para que conhecêssemos melhor nosso pai, que está nos céus. Se você nunca tiver lido o Catecismo, o lugar mais fácil para começar a lê-lo é a meditação, palavra por palavra, da oração do Pai Nosso, a Oração do Senhor. Encontre-a nos parágrafos 2777-2865 do Catecismo.

“Pela oração do Senhor, nós somos revelados a nós próprios, ao mesmo tempo em que nos é revelado o Pai” (CIC, 2783).

_________________

Escrito por: Pat Gohn. É coordenadora editorial do Catholic Digest e do Today’s Catholic Teacher. Além de autora, ela também edita a Catechist Magazine. Encontre outros escritos e livros dela em www.patgohn.com.

FONTE: Catholicdigest.com

Texto foi adaptado.

Traduzido por Tiago Veronesi Giacone – Membro da Rede de Missão do YOUCAT BRASIL, como Voluntário nos Núcleos de Tradução, Clube de Leitura YOUCAT e também atualmente participante do Grupo de Estudo YOUCAT DATING em Brasília – DF.

Deixe seu comentário