Recentemente, tive a graça de me reencontrar com uma amiga que dividiu o quarto comigo durante a faculdade e que eu não via há um bom tempo. Ela é incrível. Ela é uma psicóloga inteligente, divertida, estável, aventureira, alegre… e solteira. Durante o almoço, ela me disse uma coisa que tem ressoado em mim durante meses. Minha amiga disse:

Eu pensava que iria para a faculdade, encontraria alguém, casaria e teria filhos antes dos 30 anos. Em vez disso, sou uma doutora, já viajei bastante, trabalho na igreja e passo várias horas com amigos, tudo isso enquanto tento me dedicar a uma fantástica experiência em educação. A maioria dessas coisas, eu poderia não ter feito se já estivesse casada há uma década, como eu pensei que estaria. Eu só queria que alguém tivesse me dito que, talvez, a minha vida poderia tomar um rumo diferente do tradicional faculdade/casamento/filhos. Se eu soubesse disso, talvez fosse mais fácil aceitar os diferentes rumos que minha vida tomou, e eu teria aproveitado melhor os últimos dez anos como a aventura que eles têm sido, sem me sentir como se estivesse esperando para que minha vida começasse.

Uau.

Como alguém que passou muito tempo em apostolados ajudando e rezando para as pessoas se preparassem  para sua futura vocação, isso atingiu meu coração. Como uma amiga que tem várias pessoas próximas que tem ansiedade por conta de sua solteirice, meu coração doeu. Como uma mãe que deseja que seus filhos aproveitem cada grama de cada benção de Deus, suas palavras foram fortes.

Porque a verdade é: onde quer que estejamos, quem quer que sejamos, Deus tem um plano.

É fácil dizer, difícil acreditar, e ainda mais difícil se alegrar com isso. Não significa que estar solteiro não seja difícil. Pelo contrário, significa que nós não podemos deixar que o desejo do nosso coração por comunhão ofusque as bênçãos abundantes que estão acontecendo agora.

Eu também sofro com esse “medo de estar por fora” em muitas áreas da minha vida. Se algo legal está acontecendo, quero ser parte disso. Esse incômodo pode ser uma das partes mais difíceis da vida de solteira. Algumas das minhas amigas que não são casadas expressam o quão difícil é para elas ver postagens de noivados, ir a casamentos ou ficar empolgadas com chás de bebê quando elas se sentem como se estivessem pessoalmente fora de todas essas alegrias. A ironia é que, deixando a tentação da amargura se rastejar sob essa forma de “medo”, você realmente estará perdendo uma outra coisa chamada de gratidão, de alegria e de oportunidades que estão presentes agora.

Para os(as) solteiros(as): existem pessoas que Deus quer tocar de uma maneira que só você pode alcançar. Existem lugares que Ele quer que você veja e experiências que Ele quer que você faça que só podem acontecer na liberdade que você tem agora. Ele deseja falar contigo nesse silêncio que você terá apenas por um tempo. Ele deseja se encontrar contigo em oração, nos sacramentos, em retiros e devoções enquanto o seu tempo é só entre você e Ele. Em vez de se focar no que Ele fará por você no futuro, pergunte o que Ele está fazendo por você HOJE!

Isso não quer dizer que a dor de estar solteiro(a) deva ser minimizada ou ignorada. A dificuldade é real. Pode ser doloroso quando nós temos o desejo por algo bom, que parece impossível de alcançar. Você pode se lembrar de quando queria crescer. Você queria ficar acordado até tarde, tomar suas próprias decisões e comer o que quisesse. É claro que agora queremos voltar a ter poucas responsabilidades, a ter a comida pronta para nós e a poder tirar sonecas a tarde…especialmente as sonecas. Como a vida seria se a grama não fosse sempre mais verde do outro lado, mas se nós déssemos graças por cada graminha que encontrássemos logo na nossa frente? Um coração grato torna a presença de Deus incontestável.

Lembre-se disso: os apóstolos estavam histéricos no barco quando a tempestade veio e então clamaram: “Mestre, não te importa que pereçamos?” (Mc 4, 35-41). Ainda assim, foi a tempestade que os deu a chance de ver o poder de Cristo. O Senhor está sempre no barco. Ele está no controle. Às vezes, Ele pode estar dormindo, mas sempre está no barco. Não percamos as oportunidades de sermos agraciados por Seus planos e Seu poder.

_____________________

Katie Hartfiel é autora do “Woman In love”, que ajuda mulheres enquanto elas rezam por seu futuro marido. Katie graduou-se em teologia na Universidade Franciscana de Steubenville. Ele serviu por sete anos em Houston, onde ela vive com o marido Mark e suas três filhas. Para mais informações sobre Katie, seus livros e para ler o primeiro capítulo dele gratuitamente, acesse:  womaninlove.org.

Fonte: Chastity Project com permissão de Jason Evert  ©

Traduzido por Ludmila Alvim – Membro da Rede de Missão do YOUCAT BRASIL, como Voluntária nos Núcleos de Tradução, Clube de Leitura YOUCAT e atualmente também participa do Grupo de Estudo YOUCAT DATING em Brasília – DF.

Deixe seu comentário