A carta de um pai à sua filha que “não é boa o suficiente”

728

Minha querida filha,

Desde o momento em que pensei em você pela primeira vez , eu já segurava os seus dedinhos. Eu tenho te amado como somente um pai pode amar sua garotinha.

Eu ainda posso ver aquele brilho dos seus olhos do dia em que você nasceu – sintetizando toda a luz, música e alegria deste mundo. A luz de seus olhos apenas crescia, assim como você. Você fazia de tudo, perguntava tudo e sem medo explorava cada nova aventura que encontrava. Você era meu pacotinho de energia e amor.

Mas agora a luz deixou os seus olhos. Sua alma alegre que eu vi tão claramente, e que iluminou todos os lugares pelos quais você passou, desapareceu.  

Agora, ao invés de conter amor, seus olhos guardam lágrimas. Ao invés de dar o seu coração a qualquer pessoa que você encontra, você o mantêm trancado a sete chaves. Ao invés de explorar a vida corajosamente, você a observa distante e analisa cada palavra e ação com medo de errar alguma vez.

E ao contrário de ser você mesma, você tenta se mudar para se adequar à mascará que você quer usar nesse anoSe eu te perguntar, você me dirá que está tudo bem, e talvez você realmente acredite nisso. Mas eu conheci aquela luz nos seus olhos, eu tive a experiência de conhecer a beleza da sua alma– e eu tenho assistido ambas diminuírem sob as pressões deste mundo.

Talvez, tenham sido os garotos imaturos da sua vida que te machucaram e partiram seu coração. Quem sabe seus amigos tenham virado as costas para você quando você mais precisou deles. Talvez o espelho te traiu e seus pensamentos fugiram contigo, fazendo com que você jamais esquecesse uma única falha.

Talvez até você mesma seja sua opressora. Ou, possivelmente, você sente que já fez muita coisa, cavou muito fundo, cometeu erros demais para conseguir escapar da dor que te assola. Não importa o que seja, está te machucando profundamente. É de partir o coração te ver tão desesperadamente tentar esconder e está se tornando constante este sussurro dentro de você que diz: “você não é boa o suficiente e nunca será”.

E essas mentiras te mantêm isolada. Elas te deixam angustiada interiormente, incapaz de pedir ajuda, e expõem para ti a bagunça que você sente que se tornou.

Mas veja, minha filha, quando eu olho para você e vejo sua dor, apenas um sentimento me consome. E não é um sentimento de julgamento, ou de choque e horror. Não é um sentimento de raiva com aqueles que injustamente te feriram.

O sentimento avassalador dentro de mim, que surge quando olho em seus olhos magoados, é o grande desejo de remover a dor que está te afastando de mim. Eu desejo derrubar as paredes, curar as cicatrizes, e devolver a luz que iluminava seus lindos olhos. Eu anseio por remover a dúvida que você guardou dentro de si por tanto tempo e restaurar a beleza de sua alma aprisionada.

Eu apenas quero minha filha de volta.

Você vê, mesmo com o passar dos anos, mesmo com todas as dores, dúvidas, inseguranças e desespero por ser “boa o suficiente”, que nunca deixou de ser a minha garotinha, a qual sempre amei com todo o meu coração. Aquela que foi e é um pacote perfeito de amor e vida nesse mundo é quem ela se permite ser. Cada fio de cabelo, cada peculiaridade, cada talento, cada sonho… tudo em você é o que faz de ti a filha que comecei a amar há muito tempo e a qual eu tenho amado sempre, sem exceção.

Por favor, volte para mim. Deixe-me limpar os seus olhos, ajudar a curar suas feridas, lembrá-la da linda mulher que você é e do maravilhoso lugar que você tem em meu coração. Você nunca poderia ficar tão distante que eu não pudesse te alcançar. Você é minha filha, precisa apenas chamar “Papai” como fazia quando era criança e eu vou correndo para levantá-la. E eu sempre irei.

Com todo meu amor,

De seu Pai do Céu.

_______________________

Escrito por Kaylin Koslosky que está iniciando sua jornada como professora de ciências para alunos de ensino médio. Ela ama fazer trilhas e passear ao ar livre. É apaixonada por compartilhar a beleza de Cristo e sua criação com os outros. Ela é coautora de “Daughter of the King: Wait, Where’s My Crown?!” e cofundadora do site www.restoreyourcrown.com com sua melhor amiga Megan Finegan.

FonteChastity Project com permissão de Jason Evert © e postado originalmente em: www.restoreyourcrown.com

Traduzido por Ludmila Alvim – Voluntária na Rede de Missão do YOUCAT BRASIL nos Núcleo de Tradução, Clube de Leitura YOUCAT e membro do Grupo de Estudo YOUCAT DATING em Brasília – DF.

Deixe seu comentário