O ponto principal sobre se libertar da luxúria é este: você não simplesmente se liberta. Não se trata de uma parede a ser derrubada, ou de uma janela a ser quebrada. Não é um mau hábito para ser trocado. Não pode ser jogada na lata de lixo ou derrubada no chão. A luxúria se torna parte de você. Você não se liberta da luxúria, você deve se desemaranhar dela.

Faz 8 anos que luto contra o vício em pornografia. E esse tempo é apenas na pornografia, sem contar a masturbação, luxúria ou o fantasioso mundo que eu criei. Achava que, quando finalmente eu parasse com isso, poderia ter uma vida normal. Eu esperei por um momento único – o momento em que eu sentiria algo, quando meu coração, mente e corpo notassem. Eu esperei por esse momento em que poderia dizer “Sim! Esse é o momento em que eu finalmente sou livre.”

E comecei uma jornada na busca desse momento, só para descobrir que não existe um momento específico. A liberdade não é um momento. A liberdade, na verdade, é a própria jornada.

Muitas mulheres compartilham comigo suas próprias batalhas contra a pornografia, luxúria, masturbação e a fantasia. Elas me perguntam: “Como eu me torno livre?” E eu odeio não ter seis simples passos para dar a elas. Apenas não existe nenhum. Cada batalha é única como sua própria história. Por trás do seu vício pode haver uma filha com o coração quebrado vinda de uma família problemática, ou uma assustada vítima de um abuso sexual.

A luxúria nunca vem sozinha, e ela não afeta apenas nossos corpos. Afeta nossos corpos, mentes e, principalmente, nossos corações. A luxúria distorce o amor, a confiança, o contentamento e Deus. Ela estraga tudo. Quando uma mulher procura pela liberdade, ela não está questionando “Como eu paro de assistir pornografia?”. Ela está perguntando “Como posso ser completa novamente?”.

É maravilhoso que Deus esteja conosco para tornar-nos inteiras novamente. Se nós nos dispusermos, Ele trabalhará em nossas vidas aquela mesma graça redentora, mas temos que estar preparadas para esse longo trajeto. Temos que entender que não se trata apenas da luxúria. Ele não vai parar na luxúria. Ele adentrará no mais profundo do nosso coração fragmentado para consertar o modo como nós vemos os outros, a vida e a nós mesmas. Isso é uma grande caminhada, mas com certeza vale a pena. Então, como começamos?

Primeiro: Você deve contar a alguém. Eu sei que isso pode parecer a coisa mais assustadora a se fazer. Muitos de nós preferiria nadar numa piscina cheia de cobras do que partilhar esse tipo de luta com alguém. No entanto, é importante que partilhemos com alguém que possa nos aconselhar e ajudar a passar por esses problemas ocultos. Pode ser uma psicóloga cristã, sua mãe, uma moça da sua igreja, uma amiga. Você precisa tirar esse pecado da escuridão e expô-lo ao sol.

Segundo: Não tenha medo da dor. Muitas mulheres recorrem à luxúria, à pornografia, à masturbação e à fantasia para lidar com a dor em suas vidas. Nós não aprendemos os devidos meios para lidar com ela. Lembre-se que nosso Salvador experienciou as emoções humanas. Nós vivemos em um mundo decadente – um mundo de dor – e não há nada de errado em sentir-se desapontada, machucada, frustrada, frágil e etc. Quando você toma conhecimento dessa realidade, então ela pode ser curada!

Terceiro: Conheça seus gatilhos. A batalha de cada mulher é diferente. Algo que começa uma luta em você talvez nem tenha efeito em outra pessoa. Talvez uma emoção, uma certa hora do dia, uma certa situação, um certo livro ou filme, uma canção, ou talvez até mesmo um odor. Tente descobrir quais são os seus gatilhos. Isso vai te ajudar a evitá-los, e, ainda, pode apontar às raízes das suas dificuldades.

Por fim, e mais importante, DÊ UM PASSO DE CADA VEZ. Não é raro olharmos para um objetivo e pensar: “Oh, eu nunca vou alcançá-lo”, e por isso talvez nunca nem tentemos. Quando você está preso no abismo da pornografia e da luxúria, a liberdade pode parecer impossível. Pode parecer que você nunca estará apta a ser normal. Mesmo assim, eu te prometo que Deus é mais do que capaz de te libertar, de te curar e restaurar! É o desejo Dele te moldar à bela e pura imagem do Seu Filho. Deixe que ele faça essa mudança em você – um passo de cada vez.

___________

Escrito por Jessica Harris, fundadora do Beggar’s Daughter.
FonteChastity Project com permissão de Jason Evert  ©
Traduzido por Rodrigo Mourão – Voluntário na Rede de Missão do YOUCAT BRASIL no Núcleo de Tradução e membro do Grupo de Estudo YOUCAT DATING em Brasília – DF.

Deixe seu comentário